Cirurgias

CIRURGIA RADIOGUIADA

O Serviço de Cirurgia Radioguiada do IMEN é coordenado pelo Dr Neimar Alexandre Lolli, médico nuclear com mais de 10 anos de experiência em cirurgias radioguiadas. 

Dúvidas comuns: 

1. Quais as ferramentas são necessárias para o procedimento de cirurgia radioguiada?

a) Gamaprobe ou caneta detectora : ferramenta muito sensível e de fácil manuseio responsável, responsável por localizar a lesão ou tumor que será retirado.

b) Radiofármaco : é semelhante a um contraste, porém emite raios gamas que são detectados pelo gamaprobe. 

c) Paciente cuja lesão, tumor ou metástase possa ser radiomarcada para realização da cirurgia. 

2. Ela é invasiva ou dolorosa? Tem contraindicação?

A aplicação do "contraste" (radiofármaco) é incômoda, porém geralmente bem tolerada pelo paciente. O uso da cirurgia radioguiada promove uma abordagem menos invasiva no pacientes, conservando mais órgãos e tecidos.

3. O procedimento é longo?

Não, o procedimento é rápido. Inicialmente há a injeção do radiofármaco na lesão tumoral (via ultrassonografia, mamografia ou ressonância), após o paciente é encaminhado para realização de imagem no serviço de Medicina Nuclear (para assegurar a adequada localização da lesão). No mesmo dia ou no dia seguinte o paciente é submetido ao procedimento cirúrgico para retirada da lesão.

Dicas: 

  • Procure vestir roupas confortáveis, sem excessos de botões ou peças metálicas no dia do procedimento. Evitar brincos, pulseiras, alianças ou quaisquer objetos metálicos.
  • NÃO é necessário vir de bexiga cheia. 
  • Se tiver, traga exames recentes relacionados com seu caso ( radiografias, tomografias, ressonância, ultrassom , biópsias, relatórios médicos).